Diwali- Festival das Luzes

A palavra “Diwali” é de origem sânscrita Deepavali, Deepa significa luz e avali significa uma fileira, então: “fileira de luzes”. Por isso, o Festival Diwali também é chamado de ”Festival das Luzes “. É comemorado no primeiro dia do mês lunar Kartika, que ocorre no mês de outubro ou novembro em todo o país.

A origem do Diwali é bem remota. Segundo alguns historiadores, esse festival nasceu na Índia antiga, na época das grandes colheitas. É celebrado pelos indianos e festejado em outras religiões como o Jainismo, o Sikhismo, Budismo e em outros países, como no Nepal. O Diwali para os hindus é um dos principais festivais e marca o início de um novo ano.
Os inúmeros significados variam de região por região, de acordo com suas lendas. A principal é a história de Rama e Sita:
Deus Rama era um grande guerreiro, o Rei que foi exilado por Dashratha, seu próprio pai devido a insistência de sua esposa. Junto com o Rei de Ayodhya, foram ao exílio sua esposa Sita e seu irmão Lakshman. No exílio Deus Rama destruiu seu inimigo o demônio Ravana de Lanka que era uma grande Autoridade altamente inteligente e conhecedora da literatura sagrada, mas dominado pelo mal. Após esta vitória do Bem contra o Mal, Rama voltou ao seu reino Ayodhya depois de 14 anos no exílio. Em Ayodhya, as pessoas ofereceram boas-vindas iluminando filas de abajures e lamparinas de barro. Portanto, é uma ocasião em honra celebrando a vitória de Rama sobre Ravana; da vitória do bem contra a mal.
Dias antes do festival as famílias vão às compras, o consumismo nessa época também é assustador. Muitas promoções por toda cidade.

Doces indianos à venda em todos os mercados
Doces indianos à venda em todos os mercados
Chocolates tradicionais encontrados por toda cidade de Mumbai
Chocolates tradicionais também são encontrados nos mercados
Doces indianos com o símbolo de boa sorte. OBs: A Cruz Suástica é utilizada em diversas cerimônias civis e religiosas da Índia. Templos indianos, casamentos, festivais e celebrações são decorados com suásticas. A palavra
Doces indianos com o símbolo de boa sorte.

As famílias se reúnem, limpam as casas e purificam o ambiente com incensos para que os deuses entrem no lar. Enfeitam as casas com luzes: velas, lampiões, lâmpadas.
A cidade toda é iluminada, casas, escritórios, comércios, shoppings. Por todos os lados você verá luzes.

Luzes e enfeites pelas ruas de Mumbai
Luzes e enfeites pelas ruas de Mumbai
Apartamentos decorados com luzes coloridas
Apartamentos decorados com luzes coloridas
Piscas-piscas dentro das garrafas. Adorei a ideia
Piscas-piscas dentro das garrafas. Adorei a ideia

O festival tem a duração de cinco dias contínuos. O dia principal foi dia 11 de novembro onde aqui na Índia foi feriado e o festival está terminando hoje. Eles fazem desenhos chamados rangoli na entrada das casas e comércios, colocam flores para receber os deuses da fortuna e prosperidade.

Fachada dos comércios enfeitadas com flores
Fachada dos comércios enfeitadas com flores
Comércios com guirlandas de flores para receber as benções dos deuses
Comércios com guirlandas de flores para receber as benções dos deuses
Rangoli dentro de uma loja de um shopping center
Rangoli dentro de uma loja de um shopping center
Rangoli feita na entrada de uma casa
Rangoli feito na entrada de uma casa
Rangoli feito na porta de um escritório. OBs: A Cruz Suástica é utilizada em diversas cerimônias civis e religiosas da Índia. Templos indianos, casamentos, festivais e celebrações são decorados com suásticas. A palavra
Rangoli feito na porta de um escritório. OBs: A Cruz Suástica é utilizada em diversas cerimônias civis e religiosas da Índia. Templos indianos, casamentos, festivais e celebrações são decorados com suásticas.
A palavra “suástica” deriva do sânscrito svastika, significando felicidade, prazer e boa sorte. Porém desde que foi adotado como logotipo do Partido Nazista de Adolf Hitler a suástica passou a ser associada ao fascismo, ao racismo. Mas ela é um dos símbolos sagrados do hinduísmo há pelo menos um milênio. Então não se espante em ver esse símbolo por toda a Índia. É para trazer boa sorte!

Durante esses dias as famílias se reúnem, fazem orações, usam roupa nova, trocam presentes, especialmente doces e celebram com muita música e comida.

Luzes desde a entrada de casas e comércios
Luzes desde a entrada de casas e comércios

As luzes espalhadas pela casa representa a sua luz interior, trazendo paz e sabedoria. É um festival de iluminação, renovação, os laços de amor entre familiares e amigos são renovados.

Orações e oferendas aos Deuses
Orações e oferendas aos Deuses
Altar para os Deuses
Altar para os Deuses
Doces servidos durante o festival
Doces servidos durante o festival
Brasileiras celebrando o Diwali
Brasileiras celebrando o Diwali

Vários fogos de artifício são lançados o dia inteiro para afastar o mal dos arredores. A noite é até perigoso sair pelas ruas, pois todos estão soltando fogos e não há nenhum controle.

Muitas luzes e fogos de artifícios são lançados.
Muitas luzes e fogos de artifícios são lançados.

É um festival muito lindo onde fica a mensagem de que a luz Divina que vive dentro de você não deve ser nunca apagada. Abaixo está a oração de Lakshimi, que o Diwali abençoe também a sua vida. Namastê!

Lakshimi, Deusa da Prosperidade e da Abundância, abro meu coração e meu lar com muito amor e exuberante alegria para recebê-la no meu Templo interno e no Templo da minha morada.
Que suas bênçãos cheguem a mim trazendo a pureza da flor de lótus, a harmonia nos meus relacionamentos e a prosperidade em tudo o que eu executar com fé, entusiasmo e altruísmo.
Que o aspecto feminino de Deus em todas as suas manifestações me tragam intuição, percepção, dedicação e receptividade, para que eu possa realizar todas as minhas atividades com alegria e felicidade.
Que sua majestosa beleza se reflita em meus pensamentos para que eu possa sentir, falar, ouvir e agir somente com a consciência da minha Presença Divina.
Que a sua Luz me envolva dentro de um campo magnético de Abundância para que eu possa ter tudo o que necessito e expandir essa minha Prosperidade para todos.
Tudo o que me for ofertado eu abençôo e consagro para a realização do Plano Divino.
Amada LAKSHIMI, bem vinda à minha vida e ao meu lar!
Eu Sou, Eu Sou, Eu Sou a manifestação de tudo o que desejo neste instante, hoje e sempre
Que as bênçãos de Prosperidade e Abundância de LAKSHIMI iluminem você, seu lar e seu trabalho, hoje e sempre.

Joice Gabriela

Karwa Chauth Dia do jejum

Esse ano o dia do Karwa Chauth foi 30 de outubro. Essa celebração é feita pelas mulheres casadas que se reúnem e fazem orações aos deuses para dar vida longa ao maridos. Elas fazem jejum do nascer do sol ao nascer da lua (algumas não bebem nem água). Outras mulheres tinham comido apenas algumas frutas antes do nascer do sol. Minha amiga mexicana é casada com um indiano e esse foi seu primeiro Karwa Chauth onde sua sogra a acompanhou em todos os momentos. Ela me convidou para participar da celebração e agora conto para vocês como foi.


Recomenda-se para o primeiro ano que a esposa use o mesmo vestido do casamento. Todas as mulheres estavam com as mãos e pés decorados de Mendhi, feita no dia anterior ou pela manhã.


Usam o colar mangalasutra (que é a joia que ela recebe no dia do casamento, é como a aliança para nós). Pulseiras vermelhas, joiás, e o “sindoor” que é uma tinta vermelha usada no centro da testa e no cabelo pois significa que é casada. Todas estavam muito bem arrumadas e cada uma tinha sua bandeja, que tinha frutas, comidas, velas, dinheiro… E todos esses elementos são usados durante a celebração (puja) fazendo oferendas para os deuses, para que abençoe o casamento, o marido, que continuem felizes e com saúde.

Como ela mora em um prédio então a celebração foi feita em um espaço do prédio, todas que moram ali se reúnem todos os anos e fazem o mesmo ritual. Elas colocam colchonetes para sentar e formam uma roda. No meio fica uma senhora dando instruções em hindi do que elas devem fazer.


No início cada uma coloca suas ofertas em uma bacia que fica o tempo todo no centro da roda, todas colocam suas frutas, dinheiro, comidas, e ao passar por cada uma elas fazem reverência e seus agradecimentos.


 Após feito isso elas começam a cantar um mantra e as bandejas vão passando de mão em mão até novamente chegar na dona da bandeja, durante isso elas vão fazendo suas orações, agradecimentos e pedidos aos deuses.

Foi um ritual bem bonito onde uma apoia a outra, depois elas se despediram, tiraram fotos e minha amiga foi para casa esperar o nascer da lua.


 Elas só podem comer quando a lua aparece. Ela olha a lua por uma peneira então o marido vem e dá para ela água e a primeira comida. Esse momento também é onde os maridos dão joiás em sinal de respeito e amor.


Algumas meninas que são noivas também já iniciam esse ritual e outras que ainda não possuem marido fazem para conseguir um bom esposo. Outras indianas mais feministas já não seguem esse tradição e até prostestam contra isso. De qualquer forma devemos respeitar todas as opiniões.

Nasmastê 🙏🏻